[...]

Mariza Carpes tem dominado a sua expressão por intermédio do desenho. Estes desenhos têm um movimento e uma energia que criam figuras humanas fortes, expressando um aspecto da condição humana. O seu lápis é como uma varinha mágica que revela um lado do que é ser humano, a aflição que todos encontram na vida motivada pelas emoções escondidas: o desespero, a raiva, a avidez, o ciúme, a amargura, a tristeza, o engano, a insegurança e o fogo do medo. Vivendo assim as pessoas parecem mais como animais gulosos que pessoas dignas. A artista demonstra tudo isso com uma execução que ganha um reconhecimento condigno. Não nos sentimos confortáveis vendo estas obras porque denunciam o que preferiríamos escondido em vez de revelado. A artista, ao expressar em suas obras este lado da condição humana, não pretende glorificá-lo, mas, bem ao contrário, colocá-lo como uma realidade discutível. Tenta torná-lo público, tirando-o do obscuro, revelando-o e diminuindo seu poder, na medida em que é visto, sentido e discutido artística e abertamente.

_______ Carol Tharp-Perrin